Fisioterapia Cardiorrespiratória | O guia mais completo do Brasil

0

A fisioterapia cardiorrespiratória ou Intensiva como pode ser chamada, é uma área da fisioterapia que vem ganhando grande destaque no cenário atual.

Com a pandemia por COVID-19 a demanda pelo fisioterapeuta cardiorrespiratório cresceu para atuar nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Os profissionais especializados nessa área têm a função de melhorar a capacidade cardiorrespiratória de seus pacientes, estejam eles internados em hospitais ou não.

O que é a fisioterapia cardiorrespiratória?

A fisioterapia cardiorrespiratória é uma área da fisioterapia que reabilita os sistemas cardiológico, respiratório, vascular e metabólico. Como o coração e o pulmão trabalham juntos, a reabilitação desses sistemas é feita de forma conjunta.

A fisioterapia cardiorrespiratória atua em hospitais, unidades de terapia intensiva (UTI), centro de terapia intensiva (CTI) e clínicas de reabilitação. Também é possível realizar o atendimento cardiorrespiratório em domicílio. Em resumo, na UTI o fisioterapeuta intensivista monitorará o ventilador mecânico do paciente.

Mas, no quarto hospitalar o fisioterapeuta cardiorrespiratório orientará sobre a correta execução dos exercícios respiratórios. Outro campo de atuação é no atendimento domiciliar ou clínica de reabilitação fisioterapêutica.

Na clínica, o fisioterapeuta especializado em fisioterapia cardiorrespiratória atuará melhorando a capacidade cardiorrespiratória do paciente e consequentemente aumentando sua tolerância ao exercício.

Exemplo de atendimento fisioterapêutico realizado dentro de um hospital de grande porte, veja:

Como funciona a fisioterapia cardiorrespiratória?

O fisioterapeuta que se especializa em fisioterapia cardiorrespiratória é chamado Fisioterapeuta Intensivista quando trabalha na UTI. Na maioria das vezes atua reabilitando os sistemas cardiovascular e respiratório. Alguns dos objetivos da Fisioterapia Cardiorrespiratória são:

  • Reduzir os sintomas de dispneia (falta de ar)
  • Promover higiene brônquica (retirada de secreção dos pulmões)
  • Promover a reexpansão pulmonar
  • Manter e/ou melhorar a tolerância aos exercícios físicos
  • Reduzir a dor torácica de pós-operatórios
  • Aliviar sintomas respiratórios como a tosse e o cansaço

Tratamento da fisioterapia cardiorrespiratória

É bastante extensa a lista de patologias que podem ser tratadas e prevenidas com a fisioterapia cardiorrespiratória, dentre elas as mais comuns são:

  • A asma, a DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica - que engloba o enfisema pulmonar e a bronquite crônica).
  • Atelectasia, a pneumonia, a fibrose cística, o edema agudo de pulmão, o pneumotórax e o derrame pleural;
  • Pós-operatório de cirurgias torácicas e abdominais;
  • A hipertensão arterial sistêmica, o IAM (infarto agudo do miocárdio) e outras cardiopatias.

Quais aparelhos são utilizados na Fisioterapia Cardiorrespiratória?

Na reabilitação cardíaca são utilizados alguns equipamentos para condicionar o paciente como a esteira e a bicicleta a nível clínico. Já na reabilitação respiratória, também a nível clínico (clínica de reabilitação), existem alguns aparelhos e técnicas que auxiliam o fisioterapeuta intensivista no tratamento do paciente.

Os aparelhos são: Shaker, Respiron/Voldyne e Threshold são ótimos exemplos.

Aparelhos para fisioterapia respiratória

Os mais recomendados são o Respiron, o Voldyne e o Threshold. Todos são incentivadores respiratórios que fortalecem a musculatura inspiratória, melhorando a capacidade respiratória.

No entanto, temos o Shaker um aparelho utilizado na higiene brônquica, pois mobiliza secreções através da vibração de uma esfera metálica. O fisioterapeuta também conta com técnicas que o auxiliam na higiene brônquica e na reexpansão pulmonar utilizando técnicas manuais, onde as mais comuns são:

  • Tapotagem, percussão, vibração, vibrocompressão, drenagem postural e autógena, técnica expiratória forçada ou huff, aceleração do fluxo expiratório (AFE) entre outras para promover a higiene brônquica.
  • Inspiração fracionada, inspiração sustentada máxima, compressão-descompressão e outras para promover a reexpansão pulmonar.

Um exemplo de exercícios respiratório utilizando expiração fracionada na fisioterapia:

Fisioterapia cardiorrespiratória salário

A média brasileira de um fisioterapeuta respiratório é de R$2.800,00 podendo chegar a R$4.000,00 para aqueles que trabalham em UTI de grandes hospitais. Para os amantes da área, vale ressaltar que o fisioterapeuta respiratório ou intensivista na maioria das vezes trabalha em grandes hospitais e UTIs.

Logo precisa ter disponibilidade e comprometimento com a profissão, pois estes profissionais trabalham na maioria das vezes de turnos e plantões, incluindo finais de semana e feriados. Lembrando que o salário de um fisioterapeuta depende muito do seu local de trabalho.

Onde trabalha o fisioterapeuta cardiorrespiratório?

Como dito anteriormente, o fisioterapeuta cardiorrespiratório ou intensivista, atua na maioria das vezes em hospitais que tenham UTI/CTI. Mas, também podem prestar atendimento em clínicas de reabilitação fisioterapêutica.

O fisioterapeuta que trabalha na UTI tem a função de manter o quadro respiratório estável, promovendo higiene brônquica, reexpansão pulmonar. Responsável também pelo fortalecimento muscular e mobilização global, qualidade de vida e bem-estar do paciente internado.

Vale lembrar que é o fisioterapeuta respiratório que é responsável por manter o ventilador mecânico dos pacientes em constante funcionamento, ou seja, pacientes entubados/internados que precisam de aparelhos para respirar são monitorados pelos fisioterapeutas intensivistas.

Fisioterapia cardiorrespiratória Covid-19

A fisioterapia cardiorrespiratória é uma área que vem ganhando grande destaque no cenário atual da pandemia de COVID-19. Pois, a população e a equipe da saúde notaram a extrema importância do fisioterapeuta intensivista dentro da UTI.

Uma vez que é ele o profissional responsável por manter as funções cardíacas e respiratórias de um paciente entubado estável.

Após receber alta da UTI e ser encaminhado para o quarto, o paciente continua aos cuidados do fisioterapeuta. Esse irá orientá-lo a realizar alguns exercícios respiratórios sozinho. Também receberá orientação para continuar o tratamento em uma clínica de reabilitação fisioterapêutica. Como esse exercício:

Pós-graduação em Fisioterapia cardiorrespiratória

Após concluir a graduação em fisioterapia, que leva entre 4 e 5 anos a depender da faculdade, e se inscrever no CREFITO (Conselho Regional de Fisioterapia de Terapia Ocupacional). Você deverá procurar por uma instituição ou hospital que forneça o curso de especialização em Fisioterapia Cardiorrespiratória.

A parte teórica da matéria é possível ser feita no formato EAD, porém a parte prática é necessária, sendo ela na própria instituição de ensino ou na forma de estágios em hospitais particulares ou conveniados.

Algumas instituições que fornecem a pós-graduação em Fisioterapia Cardiorrespiratória são:

  • Incor
  • Descomplica
  • Usp
  • Uninove

Se quiser saber mais informações sobre cursos, faculdades e fisioterapia cardiorrespiratória fale conosco pelo WhatsApp.

Leave A Reply

Your email address will not be published.